Parem os Ciclistas

Foto Allan Araújo

Esse post foi criado em resposta ao Jornalista Luís Antônio Giron que publicou na época um artigo com o título Parem os Ciclistas.

Caríssimo Sr. Luís,

Caso o que foi relatado tenha sido a mais pura verdade, peço sinceras desculpas em nome de todos os ciclistas. E quero que saibas que fico extremamente envergonhado por tal fato ter acontecido! Sugiro que seja feito um B.O. contra esses ciclistas. Se eles realmente agiram dessa forma, são delinquentes e devem ser tratados como tal, mas tenho algumas indagações…

Muito estranho esses ciclistas terem mencionado ou ameaçado multá-lo. Todo ciclista mais informado, cicloativista para ser mais exato, conhece a Lei e, principalmente, o § 2º do Art. 29 do CTB que diz que “Respeitadas às normas de circulação e conduta estabelecidas neste artigo, em ordem decrescente, os veículos de maior porte serão sempre responsáveis pela segurança dos menores, os motorizados pelos não motorizados e, juntos, pela incolumidade dos pedestres”. Estranhei o fato e, em minha cidade, sempre oriento novos ciclistas a obedeceram a Lei, informo os principais artigos e enfatizo que os pedestres têm prioridade sobre nós. Pregamos principalmente que a segurança de todos é a coisa mais importante! Se analisar todos os sites especializados de cicloativistas você verá principalmente o respeito ao próximo!

Em muitos posts você pode perceber o sentimento de revolta por vivenciarmos, na pele, o sentimento de incapacidade no trânsito! O motorista simplesmente impõe sua vontade a qualquer custo sem pensar na segurança do ciclista ou do pedestre. Sempre ensino a ter atenção, parar e dar prioridade ao pedestre mesmo que este faça a travessia fora da faixa de pedestre. A maioria das pessoas que utilizam a bicicleta no Brasil como meio de transporte são de baixa renda, desconhecem as leis de trânsito e noções de segurança, andam na contramão e não fazem questão de seu espaço, ao contrário dos cicloativistas que conhecem a lei e exigem os seus direitos principalmente por conta da segurança pessoal e coletiva. Esses ativistas, ao fazerem tal manifestação, provocam a maioria dos motoristas.

O que me parece nesse texto é que o senhor não estava a pé e sim de carro, desrespeitou a nova política de respeito ao ciclista de SP e este ameaçou multá-lo. Essa é a única explicação lógica para tal fato!

Já que você é editor do mente aberta, sugiro a leitura de alguns artigos como o link abaixo:

Revista Galileu

Agradeço a atenção.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *