Como foi a reunião de dezembro com a Gestão Cicloviária

Mais ou menos a cada dois meses, a Gestão Cicloviária da Prefeitura de Fortaleza realiza reunião aberta à participação de quaisquer pessoas da Sociedade Civil. É uma boa oportunidade para cada um de nós, de coletivos ou não, sermos ouvidos pela gestão. A Ciclovida sempre divulga as reuniões em suas redes, portanto, fique atento para comparecer à próxima!

Nós comparecemos à reunião de dezembro/2017. Seguem, abaixo, os tópicos discutidos.

 

1. Apresentação do Formulário de Priorização de Ciclofaixas

A Ciclovida apresentou os resultados do Formulário de Priorização de Ciclofaixas, cujas respostas foram coletadas de forma aberta pela internet. O formulário contém as opções de vias apresentadas pela Prefeitura de Fortaleza e servirá para balizar a gestão na priorização das infraestruturas a serem implementadas. Naturalmente, colocamos que, sendo a pesquisa realizada pela internet nos canais da Ciclovida, acaba por ser limitada em aspectos geográficos. A Gestão Cicloviária levará em consideração o resultado do Formulário, porém, naturalmente, precisam seguir diversos outros critérios para decidir as vias a serem priorizadas.

 

2. Próximas infraestruturas cicloviárias

A Gestão informou as três vias seguintes a terem infraestrutura cicloviária implementada:

  1. Binário Perimetral – 4,5 km – dez/2017;
  2. Presidente Castelo Branco – Barra do Ceará – 3,5 km – jan/2018;
  3. Senador Virgílio Távora – 1,8 km, jan-fev/2018.

A seguir, a lista provisória das próximas implantações se inicia com a ligação Av. Antônio Sales – Av. Washington Soares, a ligação Leste-Oeste à Praia de Iracema, Av. da Universidade e Av. José Américo.

 

3. E a interligação entre a Av. Antônio Sales e a Av. Washington Soares?

Com relação à interligação da infraestrutura cicloviária da Av. Antônio Sales à Av. Washington Soares, a Gestão informou que se esforçará para finalizar o projeto conceitual ainda esse mês – o prazo anterior era até 15 de janeiro.

Informaram que dois principais óbices têm impedido a implantação da interligação: falta de verba e o Governo do Estado. Sobre o Estado, a Gestão ainda não realizou intervenção em via estadual. Os caminhos, portanto, ainda precisam ser criados. Os órgãos para direcionar a pressão (vamos todos pressionar!!!) são:

  1. Detran
  2. DER
  3. Secretaria das cidades
  4. SEMA

A Secretaria de Infraestrutura da Prefeitura de Fortaleza – SEINF está em fase de elaborar o projeto executivo.

Na Ciclovida, estamos elaborando uma campanha para pressionar por essa interligação. Associe-se e faça parte dessa história!

 

4. Workshop da WRI Brasil

A Gestão fez um breve apanhado sobre resultados e feedbacks do workshop “O desenho de cidades seguras para ciclistas” da WRI Brasil, realizado nos dias 30/11 e 01/12 e sobre o interesse em continuar a realizar iniciativas educativas em convênio com outros órgãos.

 

5. Paraciclos

Informaram da existência de projeto para instalação de paraciclos pela cidade inteira (4 mil estruturas em U invertido, dos quais já dispõe de 250). Solicitaram que pensássemos sobre os locais de instalação dessas estruturas e de que formas podemos movimentar os coletivos/equipamentos de cada regional para angariar essas informações.

 

6. Conexão Fortaleza-Recife

Informaram acerca da visita a Fortaleza por dois profissionais da Prefeitura do Recife. É uma consequência do evento do Bicicleta nos Planos, projeto do Bike Anjo e da União de Ciclistas do Brasil. O evento ocorreu no Recife após o Bicicultura 2017. Esperamos que o estreitamento de laços ajude ambas as cidades a melhorar a qualidade ciclística local. No âmbito ativista, a Ciclovida tem ótimas relações com a inspiradora AMEciclo, do Recife.

 

5 – Patrocínio para Expansão do Bicicletar

Para viabilizar a continuidade da expansão do Bicicletar, a Gestão está procurando novos parceiros interessados em investir no sistema.

 

6. Ciclovia modelo – Avenida Coronel de Carvalho

Solicitaram nossa contribuição com frases para serem colocadas em totens dispostos ao lado da ciclovia segregada, portanto, direcionado aos ciclistas, já para o dia seguinte. Aqui surgiu uma questão incidental: a proposta de questões como essa serem partilhadas em enquetes ou formulário online (como foi feito no caso das infraestruturas cicloviárias) de forma a permitir que não fique centrado apenas em quem comparecer à reunião.

 

7 – Projeto Educação/Campanhas Educativas

A Gestão Cicloviária tem intenção de criar um projeto educativo municipal, já que a escola de mobilidade da AMC (Autarquia Municipal de Trânsito da Prefeitura de Fortaleza) é muito centrada no carro. Pediram para já pensarmos em sugestões, e se soubermos de recursos que podem ser direcionados para campanhas (como editais), podemos também indicar.

 

CELSO SAKURABA